X

Área Privada


Notícias

D. António Francisco dos Santos visita a Obra Diocesana
2016-09-28

A visita de D. António Francisco dos Santos, Bispo do Porto, à Obra Diocesana de Promoção Social (ODPS) prosseguiu no dia 28 de setembro. Esta foi a segunda jornada de um programa que se estenderá ao longo de quatro dias e que prevê a deslocação a todos os espaços da Instituição.
Neste dia, o Bispo do Porto visitou os Centros Sociais localizados na zona oriental da cidade do Porto – Cerco do Porto, Lagarteiro, Machado Vaz e São Roque da Lameira.

O Centro Social do Lagarteiro foi o primeiro a receber a presença de D. António Francisco dos Santos. Como já é habitual nestas ocasiões, foi saudado pelas crianças do Pré-escolar e do CATL com uma canção de boas-vindas. O Bispo do Porto fez questão de cumprimentar pessoalmente todas as crianças. Seguiu-se uma deslocação às instalações deste espaço. Foi significativa a interação do Patrono da Instituição com todos os colaboradores e crianças. O Senhor Bispo sentou-se inúmeras vezes com os mais novos, participando dos seus jogos e assinando os seus desenhos, que, no futuro, constituirão, sem dúvida, uma preciosa lembrança deste importante dia.

Já nas instalações do CATL, três representantes das crianças dedicaram uma mensagem de acolhimento a D. António Francisco dos Santos, sob os lemas “Acolher e Servir no Amor” – tema do projeto educativo deste ano letivo –, e “A Alegria do Evangelho é a nossa missão”. O Senhor Bispo saudou todos os membros do Conselho de Administração, colaboradores e utentes, estendendo esse cumprimento a todos os seus familiares. De igual modo, saudou o Cónego Fernando Milheiro Leite, Pároco de Campanhã, Senhora do Calvário e Azevedo, que nos deu o prazer de acompanhar também esta visita. D. António reconheceu que o Centro Social do Lagarteiro “não é muito grande em dimensão, mas faz um trabalho maravilhoso”. Citou Fernando Pessoa: “quando fores a uma terra, há sempre muitas coisas belas, mas há três especiais – as crianças, as cores e as estrelas –, e de todas elas, são as crianças as mais belas”. Afirmou que “nos alegramos todos com o trabalho que aqui fazemos, com o bem que aqui encontramos, com os amigos que aqui nos rodeiam e com o convívio e estudo que aqui promovemos”. Naquele dia, o menino Isaac Fonseca comemorava o seu 10.º aniversário e teve uma surpresa com todos os presentes a cantarem-lhe os parabéns. No encerramento da visita ao Centro Social do Lagarteiro, todas as crianças cantaram ao Senhor Bispo a música “Querido Amigo”. Este recordou que o “Querido Amigo” mencionado na canção é Jesus, lembrando que a sua missão, enquanto Bispo e Sacerdote, é precisamente essa, “a de ser este amigo, que está sempre connosco, nas horas boas e más, que nunca está longe, que está sempre perto e nos dá alegria e paz”. Relembrando que para exercer essa missão, precisamos de uma “casa” e que o Centro Social do Lagarteiro constituiu precisamente essa “casa alargada”. No final, D. António recebeu duas lembranças – um coração simbolicamente suportado por três mãos – que materializava o lema “Acolher e Servir no Amor” e um livro com desenhos realizados pelas crianças.

A visita continuou para o Centro Social do Cerco do Porto (infância). Logo à entrada, D. António foi novamente recebido por todas as crianças deste estabelecimento com uma canção. Seguiu-se uma visita às instalações, que o Senhor Bispo tinha já conhecido no passado dia 11 de março, aquando da visita do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa. Dirigindo-se aos utentes e colaboradores, replicou as mensagens já deixadas no Centro Social anterior, nomeadamente um agradecimento a todos, extensível aos seus familiares. Também aqui, D. António recebeu duas lembranças: uma tela com uma pomba e um ramo de oliveira, símbolo da paz, e um livro com desenhos feitos pelas crianças, alusivos ao lema “Acolher e Servir no Amor”.

Depois deste edifício, a visita prosseguiu para as instalações da terceira idade. Logo à entrada, o Senhor Bispo foi acolhido por um grupo de idosos que cantaram vários temas do cancioneiro popular português. Porque a hora assim já o proporcionava, seguiu-se o almoço com os idosos deste Centro Social. Quase cinquenta seniores partilharam a sua refeição com a figura máxima da Diocese do Porto, o Cónego Milheiro e o Conselho de Administração da ODPS. Depois do almoço, houve novamente oportunidade para ouvir mais algumas músicas que alegraram este dia tão especial. No final, Américo Ribeiro, Presidente do Conselho de Administração, usou da palavra para manifestar a alegria com que a Instituição acolhe o Bispo do Porto, no seu segundo dia de visita à ODPS. Frisou o acolhimento afetuoso, sorridente e carinhoso proporcionado por todos os colaboradores ao Senhor D. António. Lembrou que “a Obra Diocesana distribui alegria, amor e muito carinho”, bem como o profissionalismo e empenho de todos os colaboradores. Na sua intervenção, o Bispo do Porto começou por cumprimentar todos os presentes e saudar o Cónego Fernando Milheiro, os membros do Conselho de Administração, os utentes e os colaboradores. Disse que “é percorrendo os caminhos da nossa Obra Diocesana, nos seus vários polos, que compreendemos a sua alma fundadora, desde os tempos de D. António Ferreira Gomes e de D. Florentino Andrade e Silva, e, a partir daí, de todos quantos trabalham, dirigem, coordenam e constroem diariamente esta nossa Obra Diocesana”. Salientou que “é assim que se vê que aqui dentro palpita a sua alma, o sentido que a fez nascer e a missão que lhe é atribuída para poder acolher e servir com amor todos os dias”. Declarou que conheceu já muitas instituições, com realidades diferenciadas, onde se “constrói vida, e onde esta é preservada, valorizada, defendida, protegida e amada”, tal como aqui acontece. Afirmou que as instalações da ODPS são simples, mas plenas de “beleza e encanto”. De seguida exprimiu a “alegria com que me receberam”, bem como “a alegria que se espelha na alma dos colaboradores e dirigentes de cada Centro Social”. Transmitiu que “não é possível viver esta alegria sem amar esta Obra; não é possível sentir-se bem nesta casa sem gostar muito daqueles que aqui acolhemos e servimos”. Dirigindo-se aos utentes, disse que “vós estais aqui, mas convosco estão as vossas famílias, que estão tranquilas, pois sabem onde estais, sabem que estais bem e sabem a quem vos confia”. Revelou que “queria que sentissem que esta casa é vossa, e através de vós, é também a minha casa”. Depois da sua intervenção, D. António Francisco dos Santos recebeu uma oferta do Centro Social do Cerco do Porto – uma tela com uma fotografia da sua casa natal, localizada na freguesia de Tendais, concelho de Cinfães. Foi uma lembrança que coincidentemente prolongou a intervenção que D. António tinha acabado de proferir e se constituiu como um momento emotivo, que tocou no coração de todos.

Já no período da tarde, a visita prosseguiu para o Centro Social de Machado Vaz. Logo à entrada, o Bispo do Porto descerrou, tal como nos restantes espaços, uma placa comemorativa desta visita. Cumprimentou todas as colaboradoras, a quem renovou o agradecimento pelo trabalho desempenhado quotidianamente. Nesse contexto, lembrou que o trabalho de cada colaborador é multiplicado pelas famílias dos nossos utentes, o que aumenta o “mérito e o fruto do seu empenho”, pois a estes levam o seu “amor, carinho e preocupação”. Referindo-se ao atual envelhecimento demográfico, por via do aumento da esperança média de vida, o Senhor Bispo afirmou que os lares de idosos e os centros de dia são, atualmente, um “bem imprescindível”. Um grupo de idosos recebeu D. António com um bonito cântico, que antecedeu a sua habitual mensagem a todos os utentes, que, posteriormente, cumprimentou um a um. Recordou que instituições como a ODPS se “destinam a ir ao encontro de todos aqueles que mais precisam”. No final, recebeu um presente cuidadosamente criado pelos idosos do Centro de Dia – uma cruz em madeira decorada com flores de papel.

Este segundo dia terminou com a visita ao Centro Social de São Roque da Lameira. Iniciou-se pelo edifício da Creche e do Pré-escolar, onde o Senhor Bispo foi recebido por uma emotiva canção entoada pelas vozes das crianças. Percorrendo as várias salas, D. António voltou a demostrar uma enorme capacidade de comunicação e diálogo com os mais novos, partilhando das suas brincadeiras e voltando a assinar vários dos seus desenhos. Recebeu mais uma oferta – uma tela com fotografias de distintos momentos diários da vivência deste Centro Social. Houve ainda tempo para uma visita às duas salas do CATL, onde as crianças rapidamente suspenderam os seus momentos de estudo e de convívio para abraçar o nosso Bispo, que carinhosamente acolheram.

Deste modo, encerrou-se o segundo dia de visita do Bispo do Porto à Obra Diocesana de Promoção Social. Outros dois dias ainda se seguem, com um sentimento pleno de expetativa junto dos utentes e colaboradores.

Confira as fotografias deste dia, na respetiva galeria.

Voltar