X

Área Privada


Notícias

Tomada de Posse Órgãos Socias

No passado dia 26 de abril tomou posse a nova direção da Obra Diocesana de Promoção Social (ODPS) para o quadriénio 2021-2024.

Foi o próprio Bispo do Porto, Sua  Excelência Reverendíssima D. Manuel Linda,  a dar a notícia sobre a nova liderança da ODPS, D. Manuel Linda informou  na rede social Twitter que a ODPS passaria a ser dirigida por “um grupo de leigos coordenados pelo Padre Manuel Luís Brito”.

Efetivamente, segundo a nomeação episcopal o novo Conselho de Administração terá como presidente o Padre Manuel Luís Leão Pacheco de Brito, pároco de Freamunde e Raimonda. Terá como colaboradores diretos o secretário Doutor João Salvador Velez Pacheco de Amorim, o tesoureiro Dr. Paulo Alexandre Vieira Correia e ainda os vogais da direção Dr. Vítor Emanuel Lopes de Andrade de Almeida Devesa e o Eng. Vítor Manuel Reis de Azevedo Moreira Bártolo.

O novo Conselho Fiscal agora empossado terá como presidente o Padre Dr. André David de Vasconcelos Aguiar Soares, o secretário Dr. José Maria Gagliardini Graça da Silveira Montenegro e o vogal Dr. Francisco José Marques Ferreira.

No seu discurso de posse, o novo presidente da ODPS realçou a importância das organizações do “terceiro setor” na “criação de emprego, na prestação de bens e serviços para satisfazer necessidades vitais” e também “na defesa dos direitos sociais”.

O Padre Manuel Luís Brito lembrou o “contexto atual de dificuldade económica” de verdadeira “emergência de novos problemas sociais” reiterando que “tem existido um menor apoio do Estado às Instituições Sociais” com a natural consequência de uma “sustentabilidade financeira cada vez mais difícil”.

“Das 5547 instituições sociais do nosso país, 40% apresentam resultados negativos. Esta é também certamente um problema da Obra Diocesana e que teremos como missão de acautelar” – Afirmou o Padre Manuel Luís Brito. Frisou ainda a importância dos “pequenos gestos” como método para um mandato que deseja viver “com honestidade. Com paciência. Com perseverança. Com temperança. Com coragem. Com humildade” – declarou.

“Com espírito de compromisso e estabilidade, proximidade, afeto, preferência pelos excluídos, honestidade, convergência no essencial, rejeição de messianismos pessoais, no respeito pela diferença e pelo pluralismo, na construção duma comunidade mais justa, mais fraterna e mais solidária” – frisou ainda o padre Manuel Luís Brito.



Voltar